Síndrome de Gabriela (Liderança)

O legislador grego Licurgo foi convidado a ministrar uma palestra sobre Educação. Ao aceitar o convite, pediu o prazo de seis meses para preparar-se. O fato causou certa estranheza, já que Licurgo era uma referência no tema, e teoricamente não precisaria de tanto tempo para preparar-se.

Passados os seis meses, Licurgo compareceu à assembleia, ocupou a tribuna e chamou duas outras pessoas, cada uma carregando duas gaiolas com duas lebres e dois cães. Em seguida, abriu-se a porta de uma das gaiolas e a pequena lebre saiu correndo com medo. A seguir outra gaiola foi aberta, o cão saiu em disparada, alcançou a lebre e trucidou-a rapidamente.

Todos ficaram chocados com a cena e não conseguiam entender o que Licurgo queria provar com tal agressão. Mas sem abalar-se, Licurgo sinalizou para que a outra lebre fosse libertada, e a seguir, o outro cão.

O povo mal continha a respiração. Os mais sensíveis levaram as mãos aos olhos para não ver a reprise da morte bárbara do indefeso animalzinho que corria e saltava pelo palco. Foi quando o cão investiu contra a lebre, bateu-lhe com a pata e ela caiu. Logo a lebre ergueu-se, os dois começaram a brincar e, para surpresa de todos, assim seguiram enquanto Licurgo comentava:

– Senhores, vocês acabam de presenciar uma demonstração do poder da educação. Ambas as lebres são filhas da mesma matriz, e receberam os mesmos cuidados. Assim também os cães. A diferença entre os primeiros e os segundos é, simplesmente, a educação, a maneira como foram criados, portanto, se existe algo que pode transformar o mundo em um lugar melhor, esse “algo” é a educação. Eduquemos nossos filhos, esclareçamos sua inteligência, mas, antes de tudo, falemos aos seus corações, lembrando-os que a sabedoria consiste em nos tornarmos melhores a cada dia.


Creio que a maioria das pessoas já ouviu falar da Síndrome de Gabriela, mas pra quem não sabe, Gabriela é um personagem de Jorge Amado, que virou uma novela exibida em 1975 e depois 2012, cujo tema interpretado por Maria Bethânia dizia: “Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela, sempre Gabriela”. E desde então é utilizada pra identificar pessoas e organizações que adotam esse mesmo discurso: “Eu sou assim mesmo. Não consigo mudar. Eu já tentei, mas não consigo. Aqui as coisas sempre foram feitas desse jeito; melhor não mexer. Em time que está ganhando não se mexe, etc”.

E a Síndrome de Gabriela acabou se tornando uma grande desculpa para a acomodação, porque se até mesmo os animais, que têm seu comportamento e características determinados pelo DNA de sua espécie, podem transformar o seu comportamento e suas atitudes, imagine o que a força de vontade, dedicação e perseverança podem fazer por você e por mim.

Todo ser humano pode tornar-se mais efetivo(a) como pai, mãe, filho, cônjuge, amigo, namorado, estudante, vendedor, esportista, gerente, diretor, presidente ou líder, desde que esteja disposto a livrar-se da Síndrome de Gabriela, e ser um pouco melhor a cada dia. É assim que as grandes transformações acontecem, um passo de cada vez, um pouco a cada dia, um processo evolutivo que exige comprometimento, disciplina, persistência e tempo para que se estabeleça.

Tem alguma coisa que você deseja muito transformar ou criar em sua vida? Quão verdadeiramente comprometido(a) você está com essa transformação? Não existe nada de errado em não querer muito alguma coisa, mas existe algo de muito incoerente em querer alguma coisa e não agir para que isso aconteça. Por isso, mais do que palavras, suas atitudes e comportamentos é que demonstrarão o seu nível de comprometimento com essa transformação. Quer falar inglês fluente? Quantas horas você estuda por dia? Quer emagrecer? Quanto você tem cuidado de sua alimentação e feito atividades físicas? Quer ser promovido? O que você tem feito pra melhorar seus comportamentos, conhecimentos, habilidades, atitudes, e a qualidade de suas entregas no dia a dia?

E se você é líder, consciente de que uma de suas principais responsabilidades é trabalhar no desenvolvimento daqueles que estão à sua volta, afaste a Síndrome de Gabriela do seu dia a dia para que tanto você quando seus liderados possam experimentar a semente e o poder da transformação que todo ser humano carrega dentro de si.

Um Grande Abraço,

Marco Fabossi

Gostou? Então de um “Like” e Compartilhe com seus Amigos! 

Facebook
Google+
http://www.blogdofabossi.com.br/2018/01/sindrome-de-gabriela-lideranca
LinkedIn
Instagram

Leia também:
Síndrome de Belchior (Liderança)

livro3a-capa-site

 

 

 

 

 

 

 

Livro Coração de Líder
A Essência do Líder-Coach
3a Edição – Revisada e Ampliada
Também em Áudiolivro

Clique aqui, inscreva-se no Blog da Liderança e receba semanalmente os textos de Marco Fabossi
.Marco Fabossi
Marco Fabossi é Sócio-Diretor da Crescimentum, a mais completa empresa de formação de líderes do Brasil.
Crescimentum – A Evolução da Liderança
.
Livro Coração de Líder
Adquira o livro Coração de Líder – A Essência do Líder-Coach em
coracaodelider.com.br
 
Os Melhores Livros de Liderança dos Últimos Tempos
Conheça os melhores Livros de Liderança
 
Líder do Futuro
O melhor programa de formação de líderes do Brasil
Líder do Futuro – A Transformação em Líder-Coach
.
Vídeos sobre Lideranca e Motivação
Vídeos – Liderança e Motivação
 
Blog da Liderança
Textos sobre Liderança, Motivação, Trabalho e Equipe e Coaching
Os Melhores Textos sobre Liderança
 
 

3 comentários sobre “Síndrome de Gabriela (Liderança)

  1. Fabossi,
    Excelente explicação sobre porque somos o que somos! EDUCAÇÃO!

    Sou mais uma vez, grato a você por nos brindar com tais ensinamentos.

  2. Conhecimentos, habilidades, atitudes, CHA, muitas corporações não generalizando na totalidade, incentivam o seu colaborador a investir em conhecimento pois o colaborador é o ativo mais importante da corporação, o gestor moderno tem que ter essa visão, mas vivenciei muitas organizações que tem gestores que se sentem ameaçados pelo conhecimento de seus colaboradores,tenho como ponto de vista a moderna gestão de pessoas concordo que não haverá desenvolvimento positivo se continuarmos na zona de conforto.
    Em relação a educação é fundamental para o desenvolvimento social de um país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *